25 de janeiro de 2020

Gols, Brasil 21 x 20 França – Mundial Feminino de Handebol 11/12/2015


Estádio VIP tudo sobre o jogo e sobre seu time: http://www.estadiovip.com.br

Fique por dentro do mundo do esporte: https://www.facebook.com/esportelovers

Curtam nossa página: http://www.facebook.com/LeandroSportsVideos

Curtam: http://www.arquibancadafc.net/

Protagonista, Dara celebra golaço e avisa: “Esse time é carne de pescoço”
Capitã foi a autora do gol da vitória sobre a França quando faltavam quatro segundos para o fim do jogo; tento foi o único marcado por Dara no confronto com as francesas
Dara teve sangue frio e pensou rápido. Assim que o Brasil levou o gol de empate da França, o cronômetro marcava 59 minutos e 52 segundos. Faltavam apenas oito segundos para o fim do duelo e o empate em 20 a 20 colocava as francesas com o primeiro lugar do Grupo C. Babi pegou a bola dentro das redes e lançou. Do meio da quadra, a capitã do Brasil, tão acostumada a defender e que por vezes passa uma partida inteira sem sequer arremessar, foi certeira. Em arremesso por cobertura, Dara venceu todas as francesas e deu a vitória para a seleção brasileira quando faltavam cinco segundos. Foi seu único gol da partida. O time “carne de pescoço” venceu mais uma, chegou a uma invencibilidade de 12 jogos em Mundiais e segue em busca do bicampeonato, tendo pela frente a Romênia nas oitavas de final.
– Esse time é carne de pescoço. Acho que a gente tira água de pedra quando precisa. A França é um grande time, com jogadoras experientes, de alto nível, mas a gente conseguiu ganhar. O objetivo era não tomar o gol, mas quando foi gol da França, olhei no relógio, vi que faltavam seis segundos, a Babi me passou a bola e arremessei dali mesmo. Vi que não dava tempo de chegar no ataque e falei, vou chutar. Deu certo – lembra Dara.
O gol coroa a atuação da capitã da seleção. Responsável pelo setor defensivo do Brasil, a pivô teve um jogo quase perfeito, apesar das duas suspensões por dois minutos.O gol da vitória foi o único marcado por ela contra a França.
– Nunca vivi algo parecido com isso, mas sempre esperamos. Como jogadora você sempre espera por ao menos um segundo de glória. Sou uma jogadora de defesa, não sou uma jogadora que está acostumada a fazer muitos gols. Não tenho esse protagonismo no ataque. O handebol é um esporte de gols, os ídolos são os que fazem mais gols. Meu papel ali atrás é assim. Mas sou ciente disso, estou muito feliz de ter esse papel, defendo o meu país, minhas cores. Tive a felicidade de fazer o gol, mas é da equipe e só entrou por que todo mundo acreditou. Qualquer um que arremessasse essa bola ela teria entrado – diz a capitã do Brasil.
A armadora Duda colocou a atuação do Brasil como a melhor até agora no Mundial. Tanto coletivamente, quanto individualmente. Babi foi bem no gol, as pontas Alê e Fernanda funcionaram. Dara foi bem na defesa e fez o gol decisivo. Ela própria foi bem em todos os fundamentos, Ana Paula foi a melhor em quadra e Deonise equilibrada. Quem veio do banco, também deu conta, como Célia nos tiros de sete metros.
– Foi o nosso melhor. Realmente chegamos no nosso ápice nessa primeira fase. Agora é daqui para frente, só mata-mata. Foi emocionante, acreditamos até o último segundo. Na última bola estava com raiva, não era nem para deixar chutar. Elas foram inteligentes, colocaram a goleira-linha. Mas depois, não daria para trocar de novo para elas. Teríamos que ter pensado no que fazer antes da ação, mas a Dara percebeu antes, teve a experiência, deu um jeito – brinca Duda.

Sobre o Autor

O despertar da Consciência é nosso sistema de publicação automático dos conteúdos.

    Postagens Relacionadas