18 de janeiro de 2020

Fernando Liguori | Goécia na Antiguidade


CURSO DE FILOSOFIA OCULTA
Módulo 1: Magia na Antiguidade
https://srikulacara.wixsite.com/teurgia-br/cfo-magia-na-antiguidade

A goécia foi, originalmente, a arte de se conjurar mortos (necrurgia ou necromancia). Apenas depois dos embates filosóficos e religiosos dos Séc. III d.C. que o termo passou a designar o contato com criaturas diversas da natureza através da feitiçaria. Como estudamos em nossa Lição 1 do Curso de Filosofia Oculta: «Os gregos e romanos do Séc. V d.C. já tinham uma visão bem diferente destes sábios magoi dos primeiros séculos. Após o Séc. III d.C. iniciou-se um grande debate (e perseguição) sobre a validade da mageia (aqui já identificada como feitiçaria ou goēteia) em detrimento da fé cristã que se espalhava por todo o Mediterrâneo. Após dois séculos de embates, gregos e romanos no Séc. V já depreciavam e condenavam completamente a prática da mageia. Heráclito de Éfeso, o pré-socrático considerado o pai da dialética, já usava a palavra magoi para identificar os sacerdotes viajantes da Pérsia que frequentavam a corte no fim do Séc. VI a.C., chamando-os de vagantes da noite. A palavra vagante neste contexto tem o mesmo significado de vagabundo.» E na Lição 2: «A mageia (magia) é a arte dos sacerdotes persas e que por volta do Séc. V d.C. não era considerada apenas uma prática distante da cultura grega, mas fundamentalmente uma prática de inimigos da Grécia. O que começou por volta do Séc. V a.C., a demonização dos magoi, no Séc. V. d.C. estava completamente cristalizada e eles eram acusados de feitiçaria e magia negra.»

Colegiado da Luz Hermética
https://srikulacara.wixsite.com/teurgia-br

Seja meu patrão:
https://www.patreon.com/Liguori

Thelos!

Sobre o Autor

O despertar da Consciência é nosso sistema de publicação automático dos conteúdos.

    Postagens Relacionadas