26 de janeiro de 2020

Piadas de Médico, Marinheiro, Velhinho e Muito Mais – Humor

Dodododoutor, eu tetetenho um proproblema gragrave. Eu tetetenho um pepepepepe… um cacete de tritritrinta centititimetros mamamas sesesendo gagagagago assim eu nananao cocococonsigo pepepgar mumumu… garota nenhuma. O sesesenhor tetetem que acacacacabar cocococom minha gagagagueira, dododoutor!
– Tire a roupa, por favor.
O médico examina e conclui:
– Posso te ajudar, sim, mas para isso tenho que cortar o seu pau fora!
– Nananananananao, dodododododododoutor! Tututututudo menos iiiiiiisso!
– Não tem outro jeito! Para te curar, vamos ter que cortar!
– Bobobobom, se tetetem que seseser assim…
No dia seguinte, o ex-gago já está agarrando um monte de mulheres. Mas quando chega na hora H, ele não tem o instrumento! Revoltado, ele volta ao consultório e encontra a porta fechada:
– Doutor, o seu tratamento foi um sucesso. Agora eu não sou mais gago, as mulheres todas caem no meu 171, eu arrasto qualquer uma pro motel, mas eu consigo fazer nada com elas! Eu quero o meu pau de volta, doutor!
A voz lá de dentro:
– Fofofofoda-se!
——————————————————————————–

Um indivíduo analfabruto foi ao médico fazer uma geral. O médico manda o cara tirar a roupa pra começar o exame. O sujeito(S) fica peladão, então o médico (M) diz:
(M) Primeiro vou fazer sua ficha. Diga sua idade.
(S) 35
(M) Estado civil.
(S) Casado.
(M) Quantos filhos?
(S) 17
O médico, espantado:
(M) Sua prole é enorme, hem.
(S) E grossa doutor.
——————————————————————————–

O marinheiro entra no consultório médico desesperado:
– Doutor, acho que peguei uma doença venérea !
O doutor examina e dá o diagnóstico:
– Realmente. Você está com KAE-KAE, uma doença africana. Terá que amputar o pênis.
– Amputar ?! Jamais ! Vou procurar outro médico !
E lá foi ele puto da vida procurar outro urologista. Explicou a situação pro outro médico e este avisou:
– É claro que não precisa amputar ! Sobe ali naquele banquinho. Agora pula no chão. Viu ? Caiu sozinho.
——————————————————————————–

O velhinho de 70 anos foi fazer um check-up com seu médico e durante os exames reclamou ao médico que estava com um problema sério:
Velho:-Doutor, estou com um problema grave ! Quando faço amor com minha esposa, nem sempre consigo ir para a segunda.
O médico riu e disse:
– Ora, meu senhor, na sua idade a primeira já merece aplausos.
O velho insistiu:
– O pior doutor e que na primeira eu sinto calor e na segunda eu sinto frio.
O médico ficou curioso e resolveu dar atenção ao velho:
– Tudo bem, meu senhor ! Então vejamos, qual o intervalo médio entre a primeira e a segunda ?
O velhinho tascou:
– Bom, a primeira eu dou em Janeiro e a segunda em Julho.
——————————————————————————–

O cara casou com uma moca virgem. E no dia seguinte foi ao médico:
— Doutor, o problema é o seguinte: Eu me casei, a minha mulher é virgem! Eu tentei desvirginar ela mas não consegui porque o meu pau não entrou!
— Leva esta pomada e passa que vai entrar, Tá? — Receitou o médico.
No dia seguinte, o cara volta.
— Doutor, não entrou!
— Não é possível! Leva este outro produto aqui. É uma pomada especial para isso mesmo! Passa direitinho que vai entrar, Tá?
E no outro dia, lá estava o rapaz de novo:
— Doutor, não entrou!
— Assim não é possível! Não da pra acreditar! Olha, vou fazer uma ultima tentativa… Leva esta pomada alemã que recebi hoje. Só tem um detalhe: ela tem que ser usada com leite! Você passa a pomada e coloca o pênis num copo de leite.
E no dia seguinte o cara voltou:
— Doutor, não entrou!
— Não entrou?? Como?
— Não entrou no copo!
——————————————————————————–

Aquela fila de rapazes, todos nus, sendo examinados pelo capitão-médico. De repente, o médico vê um, todo preto, com a coisinha branca. Exclama o clinico:
— Fenômeno, rapaz! Fenômeno! Nunca na minha vida vi um caso igual. Um negro com o pênis branco!
— Sou negro, não, doutor. Sou é carvoeiro. E estou em lua de mel…
——————————————————————————–

Um homem entra numa sala de médico, que está bem cheia de pacientes cada qual esperando sua vez. Ele chega na recepção, quando a recepcionista diz:
– Sim, Sr. Como podemos ajudá-lo?
– Bom dia. Tenho um problema com o meu cacete.
A recepcionista fica super chateada com isso e responde:
– O Sr não deveria entrar numa sala cheia e dizer coisas desse jeito. E de má educação!
– Mas a Sra me perguntou o que é que eu tinha, e lhe respondi!
– Aqui não usamos linguagem deste tipo! Por favor, retire-se da sala e volte dizendo que tem problema na orelha, ou qualquer outra coisa. O cara sai, espera alguns minutos, e entra na sala outra vez.
– Sim? pergunta a recepcionista.
– Tem alguma coisa errada com minha orelha, diz o nosso amigo.
– E o qual o problema com sua orelha, exatamente? pergunta a recepcionista.
– Não consigo mijar dela!
——————————————————————————–

Um sujeito vai ao médico se queixando de problemas no trato urinário. O médico examina o cara e lhe avisa:
– O seu problema pode ser curado facilmente, tomando estes comprimidos aqui, diz o médico com um vidro de pílulas na mão. Porém tem um efeito colateral indesejável.
– E qual seria este problema, diz o paciente.
– Sua atividade sexual vai ser sensivelmente reduzida, diz o médico.
– Creio que posso viver com isto, diz o paciente.
E se vai embora contente.
Uns meses depois, numa festa, o médico reencontra o paciente. Então lhe pergunta:
– E aquele seu problema se resolveu?
– Ah doutor, uma maravilha. Nunca mais tive problemas desde que passei a usar o remédio que me receitou.
– E sua vida sexual como anda?, perguntou o médico.
– Ainda consigo ter relações umas três vezes ao mês, diz o paciente.
– Bom, diz o médico, três vezes ao mês não chega a ser uma vida sexual intensa.
– Pro Bispo desta paroquia até que é, diz o paciente.
——————————————————————————–

Tinha um casal de portugas recém chegados no Brasil. Gente simples e trabalhadora, com valores fortes de família…
Infelizmente, o casal não podia ter filhos e a quatro anos que se tentava de tudo. Ai resolveram ir ao médico.
Fizeram todas as analises na Maria e o resultado foi que ela era absolutamente normal, tinha algo errado mas não era com ela. Naturalmente era necessário analisar o Joaquim também e quando disseram isto ‘a Maria ela logo se assustou e disse:
– Oh doutoire, se meu Joaquim for impotente ele se mata! Como vamos fazer? Ele é um tipo muito machão e TENHO CERTEZA que ele jamais aceitaria uma coisa destas!!!
– Ora minha senhora, isto não tem nada a ver com a masculinidade, é um problema que afeta muitas pessoas no mundo inteiro…
– Sim, mas ele é um homem de valores muito rígidos! Acredite, ELE SE MATA MESMO!!!
– Ok, mas como vamos fazer? Não seria muito correto para um médico não dizer a verdade…
Pois bem. Muito preocupados, fizeram as analises no portuga. Resultado:
ele tinha uma disfunção. Todo mundo no hospital estava desesperado em ter que enfrentar o portuga, ERA COM CERTEZA que ele se matava, a verdade TINHA que ser dita… Foi então que submeteram o problema ao psicólogo do hospital que discutindo sobre o problema tomava algumas anotações num caderninho:
– Huh, o paciente ha uma disfunção… se mataria com a verdade…aha! veio do Alentejo! Tragam ele no meu escritório, é comigo mesmo! Eu falo a verdade pra ele.
Pois então trouxeram o Joaquim. Ele entrou na sala e nem um minuto depois saiu todo feliz, abraçando a Maria. Todo mundo ficou bobo der ver esta cena e foram logo perguntar ao psicólogo…
– Mas o senhor falou a verdade?
– Lógico.
– Mas como??? Ele iria se matar!!!
– Foi simples. Eu lhe disse: Vai português, vai pra casa. O seu problema é que você não tem porra nenhuma.
——————————————————————————–

Um português estava impotente e foi ao médico para ver se resolvia o problema. O médico examinou, examinou e disse:
– O seu problema, seu Manuel, é simples! Basta tomar esses 100 comprimidos, um por dia, que seu problema estará resolvido!
– Sabe o que que é doutoire. A minha memória não é lá muito boa e eu acho que vou acabar esquecendo de tomar alguns dias e…
– Ah! Eu tenho um jeito que o senhor não vai esquecer nunca! O senhor compra um caderno de 100 folhas e toda vez que o senhor tomar um comprimido, arranca uma folha. Quando acabarem as folhas o senhor terá tomado tudo.
E lá foi o português na papelaria comprar o caderno. Chegou pra moca no balcão:
– Bom dia, moca! Eu queria um caderno de 100 folhas.
– Mmmm… brochura?
– Infelizmente sim….

Sobre o Autor

O despertar da Consciência é nosso sistema de publicação automático dos conteúdos.

    Postagens Relacionadas