4 de abril de 2020

    Mulher e Mulher – Cursos de Gestante

     CURSOS DE GESTANTES – Mais do que ensinar a dar banho no bebê, os cursos de gestantes ajudam o casal a superar as inseguranças comuns de quem espera o primeiro filho. A mulher começa a se sentir mãe desde o momento em que se descobre grávida. Para o pai é mais difícil. Não é raro que ele se coloque um pouco à parte nos nove meses em que a mulher carrega na barriga aquela preciosa vida que os dois forjaram. Mas não precisa ser assim. E os cursos de gestantes estão aí para defender com unhas e dentes essa bandeira. O pai pode – e deve – participar de cada minuto da gestação, além de desempenhar um papel fundamental na hora do parto e nos primeiros dias de adaptação do recém-nascido em casa.
    Treino para o banho – No curso, há situações que, aos olhos de quem está de fora, podem parecer “o maior mico”, como subir ao palco para simular uma banho num boneco e reproduzir todas as recomendações da instrutora. Mas, até mesmo tímidos se desinibem. O objetivo dessa atividade e fazer com que os pais percebam o quanto é prazerosa essa tarefa, que vale a pena vencer o medo e não delegá-la a mais ninguém. 
    Muitos cursos de gestantes também procuram estimular os pais a ajudar a mulher a lidar com a tensão e os desconfortos que surgem no final da gestação e durante o trabalho de parto. Os mais completos trazem terapeutas para ensinar técnicas de relaxamento, respiração e massagens.
    Terapia de grupo – A missão desses cursos é apresentar aos casais todas as etapas da gestação e do nascimento de uma criança, desvendar o que eles encontrarão pela frente, ao chegar na maternidade, e tirar dúvidas sobre os cuidados com o recém-nascido. Boa parte faz a defesa aberta do parto normal em lugar de cesariana, embora deixe claro que a decisão final é do casal. Também se procura incentivar o aleitamento materno. Para além de todos esses temas presentes nas apostilas, tais cursos cumprem outro papel importante. Representam a oportunidade de compartilhar com outros casais que se encontram na mesma situação os medos, as ansiedades e o deslumbramento de esperar nove meses pela chegada do tão sonhado filho.
    Dividir inseguranças, angústias, dúvidas, histórias engraçadas e curiosas com outros casais na mesma situação é uma espécie de terapia para os participantes. Tudo é feito de forma descontraída e lúdica.
    O momento da nascimento é o principal foco de dúvidas dos casais, veja as perguntas que mais angustiam e geram insegurança:
    Como identificar os sinais de que é hora de ir para o hospital? – No início do trabalho de parto, as contrações são irregulares e curtas. Quando se tornam frequentes, e o intervalo entre elas diminui (duas a cada dez minutos, com duração média de 60 segundos), é hora de ir para o hospital. Outros sinais importantes são rompimento da bolsa (com perda de líquido), sangramento vaginal e diminuição ou parada da movimentação do bebê na barriga.
    Podemos molhar o umbigo do bebê no banho? – Sim. Lave-o normalmente, sem medo de tocá-lo delicadamente, pois não vai doer. Também é importante fazer a higiene do local pelo menos três vezes ao dia, nas trocas de fralda, com a ajuda de cotonetes embebidos em álcool 70%.
    E quanto tempo temos para chegar à maternidade? – O trabalho de parto pode durar de seis a 18 horas, dependendo da mulher. Logo, quando os sinais se tornarem evidentes, a gestante terá tempo suficiente para tomar um banho e ir calmamente para a maternidade.
    Existe parto normal indolor? – As dores do parto podem ser aliviadas com a aplicação de analgésicos na região lombar e cervical. Banhos, massagens e exercícios de respiração durante o trabalho de parto também aliviam o desconforto causado pelas contrações.
    Como saber se o bebê está mamando direito e o suficiente? – Quando ele abrir a boca, faça-o abocanhar todo o mamilo e parte da aréola. Para facilitar, antes de lhe oferecer o peito, puxe o mamilo para fora, usando o indicador e o polegar. A criança deve estar com o corpo voltado para o da mãe, barriga contra barriga. Em geral, o bebê mama a cada três ou quatro horas. Para verificar se ele está engolindo, coloque sua mão suavemente no pescocinho dele e procure sentir se ele faz movimentos de deglutição. Uma mamada completa dura em média 15 minutos em cada seio.

    Sobre o Autor

    O despertar da Consciência é nosso sistema de publicação automático dos conteúdos.

      Postagens Relacionadas