27 de janeiro de 2020

Impulso de Comprar Roupas – Comportamento

Algumas idéias para evitar as compras por impulso e garantir um guarda-roupa em que tudo seja usável –
sem gastar uma fortuna.

Impulso de Comprar Roupas – Você com certeza já conhece esta história. A gente entra na loja, vê a peça que parece perfeita para o jantar especial de hoje e saca o talão de cheques. Na hora, não se lembra de que aquela blusa só poderá ser usada… com ela mesma, já que não combina com mais nada do que você tem. E aí toca comprar outra peça para completar o visual. Com o tempo, o armário começa a parecer uma arara de loja de departamentos: repleto de peças coloridas, que permitem raríssimas combinações. E a gente sai de casa sempre com as mesmas (e poucas) básicas.
Montar um guarda-roupa é uma arte. Para começar, é preciso respirar fundo e controlar o impulso que nos faz cometer loucuras naquela megaliquidação ou sair em disparada para o shopping à procura de algo para uma ocasião especial. Com a correria ou a ansiedade de aproveitar preços baixos, a possibilidade de errar aumenta muito. Alguns passos ajudam a fazer boas compras e a não se arrepender no dia seguinte.

De olho nos acessórios Antes de sair de casa, abra o armário e estude o que você já tem que possa servir para o tal compromisso. Talvez não seja preciso comprar uma roupa completa – você pode descobrir que tem um saia vermelha pouco abaixo dos joelhos, no comprimento que voltou à moda, e que basta uma blusa num tom clássico. Às vezes, um acessório novo, como uma echarpe ou um colar, pode mudar totalmente a cara do que você planejou usar. Da mesma forma, se o forte da liquidação são peças que você tem de montão (como camisas brancas e calças pretas), não perca tempo. Troque o itinerário e nem passe na porta.

Lista trípliceAo ir às compras, uma boa idéia é preparar uma lista de peças que você já tem e uma proposta do que pretende levar para casa – montada depois de um exame detalhado do guarda-roupa. Ao se encantar om uma roupa da loja, abra a lista e avalie: com quantas peças aquela calça laranja de veludo cotelê vai ficar bem? Só compre se conseguir pensar pelo menos em três combinações possíveis. Com esse truque, você multiplica as possibilidades e vai sempre causar a impressão de estar de visual novo.

Prove, prove, prove –
Na pressa, é comum bater os olhos numa saia ou num vestido, calcular mentalmente e cravar. “Serve, nem preciso experimentar”. Prove sempre. Seu olhar raio X pode se enganar com o tamanho ou talvez a roupa não caia tão bem quanto imaginava. Outra armadilha é jurar que vai emagrecer só para se presentear com uma peça que ficou apertada. Se acontecer o contrário, ela for larga, pense duas vezes antes de fechar negócio. Vale mais a pena esperar e procurar uma que já esteja na medida.
Às vezes surge a tentação de adquirir algo que não tem nada a ver com seu estilo. A não ser que você realmente esteja empenhada em mudar, drible a vendedora que se derrete em elogios tentando empurrar aquela bata verde em um jeans justíssimo, sendo que você faz a linha clássica, de terninhos e cores pastel. Se estiver insegura, confie mais no seu taco. Já viu o que vai acontecer com a tal bata, não é? Vai ficar empoeirando no armário, com a etiqueta pendurada…

Sobre o Autor

O despertar da Consciência é nosso sistema de publicação automático dos conteúdos.

    Postagens Relacionadas