8 de abril de 2020

    Grandes dizeres da Vida – Orar e Esperar na Providência Divina

    Orar e Esperar – Quando um assunto requer oração específica, devemos orar, até estarmos seguros de que o assunto está nas mãos de Deus; até podermos, com sinceridade, dar-lhe graças pela resposta. Se a resposta aparentemente demorar, não devemos ficar orando como quem não crê que ela vem. Tal oração, em vez de servir de ajuda, será um obstáculo, pois, quando acabarmos de orar, veremos que a nossa fé se enfraqueceu ou até mesmo se foi. O impulso que nos leva a fazer essa oração veio evidentemente de nós mesmos ou de forças inimigas. Se Deus está-nos fazendo esperar, pode não ser errado mencionarmos o assunto a Ele outra vez, mas façamo-lo como alguém que está crendo. Não oremos de tal modo a perder a fé, em vez de crescer na fé. Digamos a Deus que estamos esperando e crendo que Ele nos ouviu, e desde já, louvemos o Seu nome pela resposta. A própria fé é robustecida quando podemos dar graças pela resposta que já cremos que vamos receber. A oração que nos faz sair da fé nega tanto a promessa de Deus na Sua Palavra, como aquele “Sim” que Ele segredou ao nosso coração. Essas orações expressam a inquietação do coração, e inquietação resulta de incredulidade quanto à resposta. O começo da ansiedade é o fim da fé, e o começo da fé é o fim da ansiedade.
    Em meio a circunstâncias confortáveis a sua fé vai crescer. Num momento a sós com Deus, Ele nos dá uma promessa e, com palavras grandiosas e cheias de graça, confirma uma aliança conosco. Põe-se, então, à distância para ver quanto nós cremos, e a seguir, permite que a tentação venha – ah, e a prova parece contradizer tudo o que Ele falou. É nessa hora que a fé ganha a coroa. É o momento de olharmos para cima através da tempestade e, do meio dos navegantes atemorizados, exclamar: “Eu confio em Deus, que tudo sucederá do modo por que foi dito”. 
    Às vezes Deus permite que as nossas dificuldades cheguem a tal ponto, que sejamos levados a renunciar a qualquer auxílio humano – a que tenhamos recorrido e provações menos duras – e a buscar de novo o Amigo todo-poderoso. É preciso crer que Deus está entre nós e as nossas dificuldades; creiamos, e então aquilo que está-nos perturbando fugirá diante da presença Divina como fogem as nuvens ante o vento forte.
    “Eu sei em Quem tenho crido. Ele criou céus e terra. Me fez e por mim Se deu. Por isso, rujam as águas. No que me falou, espero, pois Ele é fiel em suas promessas e misericordioso ao apelo do coração aflito.”

    Fonte: Mananciais no Deserto – Lettie Cowman

    Sobre o Autor

    O despertar da Consciência é nosso sistema de publicação automático dos conteúdos.

      Postagens Relacionadas