6 de abril de 2020

    Fumo, um hábito que divide os sexos – Fatos

    Fumo, um hábito que divide os sexos

    Os homens fumam por motivações diferentes das mulheres, segundo um estudo publicado na terça-feira nos Estados Unidos.

    Em sua grande maioria, os homens fumam quando estão tensos ou chateados , enquanto que as mulheres fumam quando estão mais felizes, diz a pesquisa.

    O estudo acompanhou diversos fumantes durante dois períodos completos de 24 horas. Os pesquisadores mediram a pressão dos participantes a cada 20 minutos e registraram o consumo de cigarros e o estado de espírito de cada um.

    O estudo concluiu que, de maneira geral, tanto os homens quanto as mulheres acendem um cigarro quando estão descontentes ou aborrecidos – mas esta tendência é maior entre os homens.

    Tristeza

    Homens e mulheres fumam quando se sentem tristes e o consumo de cigarro dobra entre indivíduos de ambos os sexos quando têm que enfrentar situações de ansiedade.

    Mas os pesquisadores garantem que quando se sentem contentes, as mulheres fumam mais do que os homens.

    O líder da pesquisa, o doutor Ralph Delfino, da Universidade da Califórnia, disse que os médicos que tentam ajudar as pessoas a largar o fumo deveriam levar em conta estas diferenças: “A raiva, o descontentamento e outros sentimentos negativos podem provocar um grande desejo de fumar em certas pessoas. Esse processo pode explicar os níveis elevados de hostilidade e de depressão que se verificam entre ex-fumantes.”

    “Os médicos terão que desenvolver novas formas de estimular os fumantes a abandonar o hábito, métodos que ensinem a controlar a raiva e a depressão e ensinem a administrar as emoções”, acrescentou o doutor Delfino.

    Universo pequeno

    A pesquisa foi feita apenas com 25 mulheres e 35 homens, portanto não pode ser considerada um estudo abrangente.

    Um outro estudo publicado no jornal científico Nicotine and Tobacco Research, diz que os benefícios de se parar de fumar podem começar a ser sentidos depois de poucas semanas.

    Esse estudo, feito com um grupo de ex-fumantes, mostrou que apenas nove semanas depois de parar de fumar, as pessoas já apresentavam uma significativa redução do nível de monóxido de carbono no sangue.

    O monóxido de carbono impede a distribuição eficaz de oxigênio por todo o corpo.

    O estudo também afirma que o nível de colesterol do sangue dos ex-fumantes – outro indicador de risco de ataques cardíacos – tinha diminuído pela metade.

    Sobre o Autor

    O despertar da Consciência é nosso sistema de publicação automático dos conteúdos.

      Postagens Relacionadas