27 de janeiro de 2020

Escolhendo o Brinquedo – Crianças


Brinquedo tem que divertir e desafiar a imaginação do seu filho. O melhor não é o mais bonito, mas o que ele gosta.

Escolhendo o Brinquedo – O que torna um brinquedo diferente ou especial não é o desenho dele, suas cores, funções ou o material de que é feito. É a brincadeira que a criança inventa com ele. Nas mãos das crianças, os brinquedos criam asas, estimulam emoções e se transformam em qualquer coisa. Por causa de tudo isso, eles mexem também com os sentimentos dos pais na hora de escolhê-los. Muitas vezes, sem perceber, os pais dão ao filho o brinquedo que eles gostariam de ter, ou o que quase todas as crianças têm porque está na moda. E acabam deixando para trás o mais importante: o que a criança aprecia ou se é próprio para sua idade. Outras vezes, os pais não acertam a forma de dar ou o melhor momento de fazer esse agrado ao filho. E, para a criança tirar o melhor proveito e as melhores lembranças do seu brinquedo, tudo isso importa. Então, veja o que considerar antes de escolher o melhor para seu filho.

VONTADE DE QUEM
– Você quer dar o brinquedo ou seu filho pediu? Se a criança pede, é interessante saber o motivo antes de fazer sua vontade. Talvez ela esteja precisando mesmo de algo novo e desafiador, e valerá a pena apoiar esse impulso de crescer e aprender. Se a criança estiver apenas revelando um desejo consumista de ter mais uma boneca só porque a amiga tem, não é nenhum pecado, mas os pais podem ensiná-la a dar valor mais ao brinquedo, presenteando-a numa ocasião especial.

A HORA DE DAR – Nunca dê brinquedo em troca de bom comportamento, como quando quer fazer a criança parar com amanha, comer tudo ou ficar quieta no dentista. Brinquedo é para brincar e não para sossegar o filho, seja em público, seja dentro de casa.

O JEITO DE BRINCAR – A criança de 1 ano brinca sozinha, mesmo que esteja do lado de outra. Então, evite dar ao filho dessa idade algo que necessite da participação de outras crianças para funcionar e ser divertido. Com 2 anos, o filho que já está craque em andar vai adorar brinquedos que possa escalar, montar e desmontar, porque está interessado em saber como tudo funciona. A partir dos 3 ou 4 anos, ele começa a ver os amiguinhos como companheiros de brincadeira e adora encenar fantasias com eles, todos vestidos de heróis, príncipes e rainhas.

COMO USAR – Seu filho já tem muitos brinquedos e vai ganhar mais. E você não sabe se pode deixar todos disponíveis para ele brincar ou se deve colocar certos limites, fazer alguma seleção. Se a preocupação dos pais é impor alguma disciplina ou organização, o que devem fazer é colocar limites no tempo da brincadeira, ensinando à criança que tem hora para estudar, para tomar banho, para comer e para brincar. Você pode até achar que muitas dessas orientações não se aplicam ao seu caso. Saiba, porém, que é esse conjunto de atenções tomados na hora de presentear seu filho que vai construir a relação dele com o brinquedo.

DEU BRIGA – Brinquedo novo pode ser motivo de conflito entre irmãos. Às vezes, cada filho recebe um, mas um brinquedo é mais vistoso que o outro. Uma saída é valorizar o objeto menosprezado, sentando-se com a criança que o ganhou para brincar. Outras vezes, só interessa à criança o brinquedo que é do irmão, e a briga parece não ter fim. Nesse caso os pais devem explicar ao filho que cada brinquedo tem um dono e que não é proibido brincar com o brinquedo do irmão, desde que ele permita.

SEGURANÇA E QUALIDADE – Além do selo do Inmetro, o brinquedo precisa ter o selo da organização que o certificou. São essas entidades que testam a qualidade e liberam a venda do brinquedo.

Sobre o Autor

O despertar da Consciência é nosso sistema de publicação automático dos conteúdos.

    Postagens Relacionadas