24 de fevereiro de 2020

    De olho no Sucessdo dos Outros – Comportamento

    A alegria de alguém próximo está incomodando você? Essa reação é normal e superável. Mas é preciso aprender a comemorar as conquistas alheias. Melhor ainda: dá até para tirar proveito delas.


    De olho no Sucessdo dos Outros – Na sociedade, ter sonhos e metas é visto como uma das prerrogativas de quem quer alcançar o sucesso. Torná-los reais é uma forma de provar, a si mesma e aos outros, que se tem capacidade e competência, e, consequentemente, de mostrar o quanto é merecedora de admiração. Portanto, ao ver alguém realizar projetos, o outro logo aciona uma conexão com as próprias ambições.
      Não é uma afronta – Há duas formas de encarar as emoções que afloram diante do sucesso alheio. A primeira é a pessoa se apegar à negatividade dos sentimentos. Nesse caso, o resultado é se achar ainda mais incapaz, longe e inferiorizada em relação ao outro. A tendência é se comportar de maneira distante, superficial e até mesmo agressiva com a pessoa. “É comum menosprezá-la e não lhe dar o devido reconhecimento, como se a conquista obtida fosse uma afronta”, afirma Elizabeth Zamerul. Quem faz isso, no entanto, chega a colocar em risco a relação e a própria estabilidade emocional.
    Outra possibilidade é a pessoa encarar o progresso alheio de forma positiva e, consequentemente, colher bons frutos. De acordo com o psicólogo Moacyr Castellani, de Belo Horizonte, autor do livro O Que Importa É Ser Feliz (Editora Gente), conviver com pessoas bem-sucedidas pode ser extremamente benéfico. “O sucesso do outro serve de sinal de alerta para despertá-la da acomodação. Quando o sentimento é momentâneo, você acorda e aprende com a situação”, explica.
    Comparações desagradáveis – Para construir a própria identidade é inevitável estabelecer referências. “Há uma tendência de se colocar no lugar dos outros para se posicionar, tanto na profissão como na vida familiar ou afetiva”, explica Moacyr Castellani. É normal avaliar-se por suas conquistas com base no que a sociedade estabelece como modelo prestigiado, ou seja, como padrão. Essa comparação pode gerar angústia, indício de que é hora de reverter o quadro.
     Santo de casa incomoda – Em geral, quando a pessoa bem-sucedida é muito próxima, é mais complicado lidar com as vitórias dela. Por quê? “Justamente por ela ser importante para nós e nos servir de parâmetro”, esclarece Aílton Amélio da Silva, psicólogo da Universidade de São Paulo (USP). Por mais que se anseie pela fortuna do americano Bill Gates, ninguém se tortura por não consegui-la. É um objetivo bem distante da vida da maioria das pessoas. Já as conquistas de um amigo ou parente são sonhos muito próximos – e mais difíceis de ser ignorados.
    Quando a questão envolve marido e mulher, o quadro é mais delicado ainda. De acordo com Aílton Amélio, se o brilho de um aparece bem mais do que o do outro, são grandes os riscos de a relação ficar abalada. “O que não obteve tanto sucesso se sente ameaçado de alguma forma”, explica ele. Isso ocorre porque, enquanto um se torna poderoso e bem-sucedido, o outro fica inferiorizado. A saída: o incomodado precisa se movimentar para caminhar junto e buscar crescimento.
    Metas compatíveis – Segundo o psicólogo Moacyr Castellani, para lidar melhor com o sucesso alheio, é necessário olhar para os outros e para si mesma com menos rigidez. “Lembre que, antes de alcançar a glória, todos provavelmente passaram por dificuldades – e se esforçaram para superá-las”, diz ele. Há também a questão das limitações pessoais: é preciso saber que elas existem e aceitá-las. Isso não significa que a pessoa deva se sentir menos capaz de concretizar esse ou aquele desejo. Pelo contrário. “Conhecendo seus limites, você pode realizar mais coisas sem se frustrar”, afirma Castellani.
    Ao assumir as próprias limitações e perseguir os sonhos independentemente das pessoas que a cercam, fica mais fácil conviver com as conquistas dos outros. Com olhos menos exigentes e metas mais suaves e flexíveis, você logo, logo comemorará o próprio sucesso.
    Virando o jogo – Conheça os indícios de que é hora de reavaliar sua postura diante do sucesso alheio e saiba como sair bem dessa situação, de acordo com a psicóloga Elizabeth Zamerul.
    Verifique se você… 
    …tem dúvidas sobre o que quer realizar e conquistar na vida profissional ou pessoal.
    …não dá asas aos próprios sonhos ou desejos.
    …caminha em direção contrária aos projetos estabelecidos.
    …se distrai facilmente, perde o foco e, muitas vezes, desiste de metas no meio do caminho.
    …mostra desinteresse ao ouvir as conquistas de outra pessoa.
    …não se responsabiliza pelos próprios fracassos, culpando sempre um colega ou amigo.
    …realça os erros dos outros e critica-os demasiadamente.
    …nunca consegue parabenizar ou elogiar alguém. Estimular uma pessoa? Jamais! 
    …banaliza os esforços do outro. Pensa: “Assim, até eu!”

    Se a maioria das respostas for sim, o ideal é pensar que…
    …o fato de o outro ter algo não impede que você conquiste o mesmo. Busque maneiras de mudar a situação.
    …não adianta fazer da outra pessoa uma inimiga. O melhor é encará-la como aliada: tente aprender com ela uma nova forma de conquistar metas.
    …é perda de tempo ficar comparando-se aos outros e, com isso, se desvalorizando. Olhe com bons olhos para si mesma e valorize suas conquistas.
    …o sucesso não acontece da noite para o dia. Quem você admira com certeza lutou muito para chegar aonde está. Lute também!

    Sobre o Autor

    O despertar da Consciência é nosso sistema de publicação automático dos conteúdos.

      Postagens Relacionadas