Aguarde!
 Carregando o Conteúdo
          desta Página...
Home TopGyn
Envie por E-mail Fale Conosco

Saiba como seu filho se desenvolve nos três primeiros meses para ajudá-lo a se adaptar melhor ao mundo.

Desenvolvimento do Recém-Nascido - Eles chegam da maternidade na maior emoção, pais e bebê. E inteiramente dependentes. O recém-nascido precisa dos pais para sobreviver e aprender sobre o mundo, e eles, embora tenham noção do universo dos bebês, nada conhecem do jeitinho e das necessidades particulares do filho. O que sustenta essa grande aventura de descobertas mútuas, com as inseguranças e os tumultos inevitáveis, é o encantamento que um produz no outro. Basta o bebê agarrar o dedo do pai, para ele se sentir um superdeus protetor. Um movimento no cantinho da boca do filho, e a mãe se sente "sorrida" e amada. Ficam assim garantindo os cuidados, o alimento e o aconchego de que os bebês precisam crescer. Mas saber como eles se desenvolvem nos primeiros meses, do que são capazes e do que mais gostam deixam os pais mais seguros e livres para curtir o afeto e a comunicação com os filhos. Aproveite muito, porque, num piscar de olhos, seu bebê já estará na faculdade.

Primeiro mês -
Você pode ter a impressão de que seu filho só mama e dorme. Mas tem muita coisa sutil ocorrendo nos momentos em que ele está acordado, percepções nada banais para quem começa a experimentar a vida fora do útero. Nas duas primeiras semanas, primeiro ele escuta sua voz e fica alerta. Depois, o olhar vai se mover na direção desse som até que ele saberá quando é a mamãe que está falando, assim como reconhecerá seu cheiro de longe. Com cerca de 20 dias, produz sons em respostas aos seus e a cabeça vira na direção dos ruídos.
O corpo chega em casa magrinho. "Os bebês perdem 10% do peso de nascimento, eliminando líquidos", explica o pediatra. Com a amamentação, ganha cerca de 30 gramas por dia. "No fim do mês, pesa 1 quilo a mais, cresce 4 centímetros e o perímetro da cabeça aumenta 1 centímetro. Será mais ou menos esse o padrão nos próximos meses também", diz o médico. 
Observe a urina e as fezes do seu filho. O xixi deve ser bem claro e o cocô, verde-escuro e pastoso. "O bebê urina cerca de seis vezes ao dia e evacua pelo menos duas", afirma.
No fim do primeiro mês, podem surgir cólicas. Aparecem em cerca de 40% dos bebês. A causa não é conhecida, mas a maioria dos médicos aponta para a adaptação do sistema digestivo. Durante esse mês ocorrem duas visitas ao pediatra - uma aos 10 dias e a outra aos 30. O médico examinará os reflexos do bebê, para avaliar sua saúde neurológica. Também vai pesar, medir, ouvir o batimento cardíaco e orientar sobre as vacinas. 

Ele já é capaz -
Os movimentos são involuntários; A visão alcança cerca de 50 centímetros. Ele é atraído por imagens circulares e por objetos de cores fortes; Ouve tudo, mas nem sempre tem reações rápidas para indicar isso.

Do que gosta -
Fale com seu bebê bem de pertinho, fazendo expressões faciais. ele tentará responder abrindo e fechando aboca, e movimentará a língua; Coloque no berço um móbile colorido e sonoro; Brinque durante as trocas de fralda: batendo palmas com as mãos dele, flexionando os bracinhos e as pernas, pegando nos pés do bebê.

Segundo mês -
A partir dos 2 meses, um dos maiores prazeres dos pais é ver o bebê ensaiar os primeiros sorrisos. São ainda esboços, tímidos na anatomia, mas, sem dúvida, reações de contentamento. As gracinhas dos pais fazem sucesso, mas descobrir as mãos e levá-las à boca é a grande curtição e sinal de ótimo desenvolvimento. Qualquer objeto que você colocar na mão do bebê irá direto para uma inspeção oral: ele adora sentir texturas, temperaturas e formatos. Com o pescoço e as pernas mais firmes, quer se levantar.
A visão também tem mais foco. "O bebê reconhece o perfil da mãe, que antes era apenas um vulto", diz a especialista.
Como a mãe e filho já estão acostumados um com o outro, esse é o melhor momento para estabelecer um rotina. "A criança precisa ter horários definidos para acordar, passear no sol, tomar banho, mamar e dormir. Isso ajuda a desenvolver seu relógio biológico", explica.
A criança começa a ficar períodos maiores acordada e não precisa estar sempre mando nesses momentos. "A mãe não deve oferece peito para suprir todas as necessidades do bebê. Se fizer isso, ele não aprende a diferenciar os estímulos, a perceber que tem fome, por exemplo", alerta o pediatra.
Nesse segundo mês, na terceira visita ao pediatra, cheque as vacinas que o bebê deve tomar: contra poliomielite, a tríplice e a antipneumocócica.

Ele já é capaz -
Fixa o olhar e acompanha um objeto ou uma pessoa passando por sua frente; Tem movimentos voluntários. Mexe os dedinhos dos pés e das mãos, leva as mãos e os objetos à boca; Começar a emitir sons mais inteligíveis para os pais, como as vogais "a" e "u".

Do que gosta -
Objetos leves, que possa sustentar e levar à boca, como cubos coloridos de pano; Brinquedinhos sonoros, como chocalhos; Ficar em pé no colo dos pais, espiando o mundo sobre os seus ombros; Conversar com os pais, bem de pertinho. Aí a brincadeira é imitar as caretas que eles fazem.

Terceiro mês -
O sono do bebê começa a mudar. "Ele começa a dormir 16 horas por dia e, geralmente, com um período maior à noite", diz a especialista. O tempo de amamentação também diminui. Se nos primeiros meses chegava a durar cerca de 20 minutos em cada peito, agora, com um pode de sucção maior, pode cair para 15 ou menos. Isso tem reflexo no funcionamento intestinal: o bebê evacua menos, às vezes só uma vez por dia e as fezes têm consistência mais endurecida.
A comunicação de seu filho com o mundo fica mais clara. O sistema nervoso está mais desenvolvido e a resposta aos estímulos é mais rápida. O bebê é capaz de seguir com a cabeça todos os sons fortes que ouvir, como o da televisão ou de um diálogo entre pessoas, e até quando é chamado pelo nome. Começa a virar o corpinho para o lado. Essa é a fase em que mais ocorrem quedas, porque os pais não estão acostumados com essa habilidade.

Ele já é capaz -
Sorri de verdade; O pescoço está firme e ele mantém a cabeça erguida quando colocado deitado de bruços; A boca é cada vez mais o centro de exploração do mundo; Emite sons parecidos com sílabas, como "Da" e "Ma"; Diferencia pessoas conhecidas de estranhos; Enxerga com muito mais nitidez, mas a visão será semelhante a do adulto só no sexto mês.

Do que gosta -
Brinquedos de borracha, tecido, silicone ou recheados com água, mordedores, chocalhos; Ficar solto no chão para se virar e movimentar-se à vontade; Fazer movimentos de abraçar os pais, a almofada, o ursinho, o boneco.