Aguarde!
 Carregando o Conteúdo
          desta Página...
Home TopGyn
Envie por E-mail Fale Conosco

Principais Danças, Ritmos e Folguedos
RASQUEADO: A musicalidade mato-grossense utiliza-se de instrumentos artesanais típicos da Região, como viola de cocho, mocho e ganzá. No século 19, após a Guerra da Tríplice Aliança, com a chegada de imigrantes da Região platina, foram introduzidos instrumentos como violão, piano, violino e flauta, até Então restritos à elite local. Da união dos imigrantes com os ribeirinhos surge o rasqueado, um ritmo genuinamente mato-grossense, também conhecido como "limpa banco".

SIRIRI
: Um dos folguedos mais populares e antigos do Estado, o siriri é dançado por homens, mulheres e crianças. Possui uma coreografia em roda ou fileiras formada por pares que se movimentam ao som da viola de cocho, mocho e ganzá.





CURURU
: A assim como o siriri, o cururu é uma das mais fortes expressões culturais da nossa Gente. Executado especialmente por homens, que dançam e cantam em louvor aos santos de Devoção, citando passagens da Bíblia, saudando pessoas da comunidade ou fazendo referência aos acontecimentos políticos.

BOI-À-SERRA: Em 1990 o etnólogo Max Schmidth registrou a existência dessa dança no interior do Estado. A mesma ainda realizada nas comunidades ribeirinhas, durante o carnaval ou Em festas religiosas. Figura principal da dança, o boi é confeccionado pela própria Comunidade, utilizando materiais como taquaras, tecidos, arames, etc. O dançador leva o Boi às costas e sai às ruas dançando e brincando com o povo.

DANÇA DE SÃO GONÇALO: Comemorando no dia 10 de janeiro, mas podendo ser adiado ou antecipado para coincidir com um final de semana, São Gonçalo é festejado principalmente pela Comunidade do São Gonçalo Beira Rio. É o santo casamenteiro das velhas, protetor dos Curandeiros e curador de doenças dos ossos. Os que alcançam uma graça prometem dançar em sua homenagem Organizados em duas ou mais filas, uma só de homens, outra só de mulheres, que cantam e dançam ao som da viola de cocho, mocho e ganzá, marcando o ritmo sempre com os pés e as mãos.