Aguarde!
 Carregando o Conteúdo
          desta Página...
Home TopGyn
Envie por E-mail Fale Conosco





A história da chupeta e sua origem

Revista Crescer
Março de 2006, edição 148
Imagem cedida pelo Site Corbis
Escavações na Itália, Chipre e Grécia sugerem que a chupeta tenha pelo menos 3 mil anos. São citadas pela primeira vez na literatura médica em 1473, na mesma época em que o pintor Albrecht Durer retrata um bebê com uma chupeta de pano. Geralmente eram feitas com um linho grosso, mergulhado em mel, leite, extrato de papoulas e até mesmo em láudano (um medicamento à base de ópio) ou conhaque. Pobres bebês! O uso do ópio foi banido no século 19.
Naquele tempo, amarrava-se a chupeta no berço e não nas roupas, como se faz hoje. Desde 1800 a chupeta é criticada por causar deformidades e transmitir doenças, especialmente por causa do costume que as mães tinham de umedecer os panos na própria saliva.
A chupeta tomou o formato de hoje por volta de 1845, mas o design pouco evoluiu até 1975, quando passou a ser considerada uma alternativa ao dedo.


15/07/2008