Aguarde!
 Carregando o Conteúdo
          desta Página...
Home TopGyn
Envie por E-mail Fale Conosco





Desintoxicando o organismo com plantas diuréticas

Revista Saúde e cura pelas plantas
Ano 01,Nº 01
Imagem cedida pelo Site Corbis
Uma das funções das plantas diuréticas é eliminar líquidos que estão em excesso no organismo, ajudando na desintoxicação dos rins e no tratamento de infecções urinarias.
Alem disso, são indicadas para combaterão envelhecimento, ajudam na congestão linfática, previne doenças de pele, venéreas e reumáticas. Sem contar que aumentam a diurese, ajudam na limpeza do sangue e combatem a icterícia e a hepatite.
Em casos de febre, elas ajudam a drenar o calor úmido, eliminando o mal-estar. Tem também a capacidade de eliminar os excessos de líquidos na cavidade abdominal, auxiliando na digestão e nas tarefas gatrointestinais, inclusive a diarréia. Segundo o Ayrveda (milenar medicina indiana, que utiliza na sua abordagem teraupêtica plantas medicinais, dieta, exercícios físicos,meditação,yoga,astrologia hindu,massagem e aromaterapia),a atuação das plantas diuréticas sobre os rins trata as doenças e ainda mantém a boa saúde,purificando o elemento água e prevenindo a formação de toxinas.São usadas em Ayrveda para combater as dores lombares,ciáticas e desordens de rim.
Dentre as principais plantas capazes de eliminar as toxinas do organismo através da eliminação da água estão:
-Coentro
Nome cientifico: Coriandrum sativum
Origem: Europa
Parte da planta utilizada em tratamento: frutos maduros (sementes) e planta fresca.
Ações: diurética, aromática, estimulante, tonificante, refrescante e afrodisíaca.
Indicações: o coentro é especifico para fortalecer o trato urinário e combater problemas digestivos, como vermífugo e aumento da menstruação.
Contra-indicaçoes: não è seguro o uso do coentro durante a gravidez e a amamentação.
Como consumir: tanto as folhas quanto as sementes podem ser utilizadas na forma de infusão para tratamento de infecções. O suco fresco da planta, para uso interno, é eficaz contra alergias e febre do feno. Como chá, é indicado para erupções cutâneas, coceira e inflamação (tomar uma colher de chá três vezes por dia). Os frutos são utilizados como condimento, como purgantes e para prevenir cólicas. Nestes casos deve-se tomar de 1 a 4 gotas de óleo, 3 vezes ao dia.O óleo é comumente utilizado na cozinha inglesa para dar aroma ao gim.A fruta seca é geralmente utilizada na forma de infusão para dores de garganta,indigestão,vômitos e outras desordens intestinais.Já as sementes são geralmente mascadas para corrigir odores desagradáveis da boca,mas quando torradas são úteis em casos de dispepsia.Uma decocção em leite com açúcar ajuda em casos de dispepsia e indigestão.Infusões frias das sementes fritas com açúcar são muito úteis em casos de cólicas em crianças e também para aliviar o calor interno e a sede.As folhas verdes soa comidas cruas,assim soa utilizadas no preparo de molhos.
Quebra-Pedra
Nome cientifico: Phyllantus niruri.
Nomes populares: erva pombinha
Origem: embora seja uma planta originaria do sul do Brasil, nordeste da Argentina, Paraguai e Uruguai, o quebra-pedra é encontrado em abundancia na Índia, índio desde a central e sul até o Sri Lanka. Seu uso como tratamento terapêutico começou a apartir do século XIX na região do rio da Prata no combate a diabetes e cálculos renais, mas hoje é muito empregada na medicina popular, através da infusão de suas folhas.
Parte da planta utilizada em tratamentos: toda a planta com raíz.Os princípios ativos do quebra-pedra são encontrados em plantas com mais de dois anos de vida.
Propriedades: desobstrutiva, diurética, adstrigente e refrescante.
Ações: diurética, adstrigente e refrescante.
Indicações: hapatite, gota, cálculos urinários e hepáticos, edemas, diabetes, azia.
Contra-indicações: gravidez e amamentação
Como consumir: como antidiabeticos, fazendo-se decocção do córtex ou da planta inteira e tomando-se 2 ou 3 copos/dia, ou através da infusão das folhas.Como diurético, aconselha-se a ingestão da infusão combinada do córtex e das folhas.A infusão dos caules foliáceos é recomendada como purgante,antitético e antiséptico de lesões ulceradas.Brotos novos e tenros são administrados na forma de infusão para desinteria crônica.O suco do caule,misturado com óleo, é usado em problemas oculares.A planta, triturada com a raiz e misturada com água de arroz é usada no tratamento de ulceras, ferimentos e inchaços.Um cataplasma das folhas, com sal, cura coceira e outras afecções da pele.
Curiosidade: na Índia, é largamente usada com fins terapêuticos.
-Cavalinha
Nome cientifico: Equisetum arvensis.
Nomes populares: rabo de cavalo erva carnuda.
Origem: Originaria da Europa, seu nome latino deriva de equi(Cavalo) e setum(Cauda.Conhecida também como equiseto, é uma planta perene que não possui flores nem sementes.
Parte da planta utilizada em tratamentos: folhas e flores.
Ações: diuréticas, hemostática, remineralizante, sebostática, antiinflamatória, antiacne, cicatrizante, adstrigente, abrasiva, tonificante e revitalizante.
Indicações:
●Internamente: afecções dos brônquios e pulmões, ósseas (incluindo osteoporose),afecções articulares, hemorragias internas, ulceras gástricas, hipertensão, menstruação excessiva, enfermidades renais e das vias urinárias,incontinência urinária noturna em crianças e idosos, alterações prostáticas, celulite, aterosclerose.
●Externamente: frieiras, feridas, aftas, úlceras, tonifica e revitaliza unhas e nutre peles secas.
●Fitocosmético: combate á acne e queda de cabelo.
Contra-indicações: os alcalóides nela existentes podem gerar reações tóxicas, devendo ser evitada durante a gravidez.
Como consumir: em forma de chá, feito com infusão.
-Chapéu de couro
Nome cientifico: Echinodorus macrophyllum
Nomes populares: chá-da-campanha, erva-do-brejo, erva-do-pântano.
Origem: o chapéu de couro cresce em varias regiões do Brasil, em solos de várzeas ou águas pouco profundas. No interior do país, é muito apreciado pela medicina popular, que lhe atribui inúmeros poderes terapêuticos.
Parte da planta utilizada em tratamentos: folhas.
Ações: energética, diurética, depurativa, antireumática, laxante, hepática, antiinflamatória e adstringente.
Indicações: doenças renais e das vias urinarias, arteriosclerose, reumatismo, afecções cutâneas, problemas do fígado.
Contra-indicações: não há.
Efeitos adverso ou tóxicos: o uso em excesso funciona como diurético e hipotensor.
Como funciona: em forma de chá das folhas.
-Dente de Leão
Nome cientifico: Taraxacum officinalis.
Nome popular: amor dos homens, alface de cão, chicória silvestre.
Origem: Europa principalmente Portugal
Parte da planta utilizada em tratamentos: raíz e folhas.
Ações: diurético, tônico, laxante.
Indicações: distúrbios hepáticos, icterícia, pedras de vesícula, câncer de mama, hepatite, diabetes, edemas, ulceras, sistema respiratório, glândulas mamarias, feridas no tórax, tumores, cistos, desintoxicação do fígado e da vesícula biliar.
Contra-indicação: obstrução biliar, íleo paralítico.
Como consumir: A raíz de dente de leão combinada com raiz de chicória resulta em uma bebida chamada anti-pitta (uma pitada de cada uma em1/4 de água fervida por 20 minutos). Esta mistura pode ser consumida três vezes por dia com as refeições. O dente-de-leão também é bom para desintoxicação quando a dieta habitual é à base de carne e gordura.
Curiosidades: As flores do dente de leão se abrem as cinco da manha e fecham no final da tarde, por isso é também chamada de relógio de pastor.
Há ainda crenças á respeito desta planta: se as sementes voam quando há vento é sinal de chuva iminente.Além disso,são atribuídas a elas propriedades divinatórias:quando sopradas, as sementes que caem podem indicar os anos de vida de uma pessoa ou o numero de descendentes.


27/06/2008