Aguarde!
 Carregando o Conteúdo
          desta Página...
Home TopGyn
Envie por E-mail Fale Conosco





Novos casos de homens com anorexia e bulimia

Revista Saúde
N° 253, ano 2004
Imagem cedida pelo Site Corbis
O numero de homens com anorexia e bulimia tratados no Nuttra - Núcleo de Transtornos Alimentares e Obesidade, do Rio de Janeiro, cresceram cinco vezes em 2003 em relação ao ano anterior.

No ano passado, foram atendidos mais homens com transtornos alimentares do que entre 1999 e 2002 somados.

Um outro estudo realizado este ano pelo Hospital Universitário de Zaragoza revela que, entre os universitários espanhóis, a prevalência de transtornos alimentares e de aproximadamente 20,8% em mulheres e 14,9% em homens.

A novidade maior e que os números da doença nos dois sexos nunca foram tão semelhantes. Ate pouco tempo à relação era de um homem para cada 10 mulheres com transtorno alimentar.

"Por décadas, acreditou-se que transtornos alimentares eram doenças de mulher. Hoje vemos que o numero de anoréxicos e bulímicos esta subestimado, sobretudo, quando levamos em conta as pressões culturais por um corpo perfeito (que agora valem para os dois sexos) e que são um dos principais fatores de desencadeamento da doença", diz a Dra. Paula Melin, diretora do Nuttra.

Alguns grupos de homens apresentam maiores chances de desenvolver um transtorno alimentar, principalmente aqueles cujas profissões estão ligadas a uma preocupação exagerada com a forma fica e com o peso, como é o caso de bailarinos, modelos, ginastas, fisiculturistas, corredores, nadadores, j6queis e praticantes de luta livre.

É difícil para muitos homens admitirem que estão doentes e precisam de ajuda. Fatais em cerca de 1 0% dos casos, os transtornos alimentares são bem mais freqüentes entre atletas que precisam desenvolver grande massa muscular, mas dependem de um peso mais baixo para melhorar o desempenho. "Nas academias deve haver muitos homens com anorexia e bulimia que não sabem disso ou que escondem as doenças", diz Paula.

Como os transtornos alimentares são associados a mulheres e homossexuais, e difícil para muitos homens admitirem que estão doentes e precisam de ajuda.

Segundo Paula, homens com transtornos alimentares geralmente tem um histórico de obesidade. "Muitos pacientes contam que começaram a fazer dieta porque não queriam mais ter que conviver com criticas e apelidos de infância relacionados ao excesso de peso", diz.

Está mais do que comprovada à relação entre dietas rigorosas e o desencadeamento dos transtornos alimentares. No Brasil, nesse momento, calcula-se que mais de 10 milh6es de pessoas estejam fazendo algum tipo de regime para emagrecer, enquanto outros 10 milh6es planejam começar um. Segundo os estudos, 35% das "dietas normais" progridem para dietas patológicas. Destas, uma em cada quatro evolui para um transtorno alimentar.

Sabe-se hoje que, entre os homens, a bulimia e mais freqüente do que a anorexia, que muitos anoréxicos têm diminuição da libido e se tornam impotentes. Os transtornos alimentares em homens estilam bastante associados a outras doenças como depressão e dependência química. Homens com anorexia e bulimia tentam mais o suicídio apresenta maior perda óssea e sofrem mais rapidamente de problemas circulatórios do que as mulheres.

A prevalência dos transtornos alimentares em homens e subestimada, dentre outros fatores, por causa da dificuldade de se fazer o diagnostico correto e do despreparo da maioria dos médicos para identificar a doença. Três meses sem menstruar podem ser um indicativo de anorexia em mulheres.

E nos homens, quais seriam os sinais clínicos mais evidentes? "A diminuição do impulso ou do funcionamento sexual, bem como a redução dos níveis de testosterona comprovada laboratorial mente, podem ajudar a confirmar o diagnóstico", responde Paula Melin. "são muitos os pontos que podem dificultar e confundir o diagnóstico da anorexia nervosa e da bulimia nervosa no sexo masculino, mas os profissionais de saúde devem estar atentos para identificar essas condições graves e ainda pouco reconhecidas", conclui a especialista.


11/04/2008